5 de jun de 2016

INCÊNDIO DE GRANDES PROPORÇÕES DESTRÓI GARAGEM DE ÔNIBUS EM BRASÍLIA

Intensidade do incêndio e quantidade de ônibus que foram
    destruídos pelas chamas

    Fonte: Alan Rajão/ Bombeiros Brasileiros
          Por volta das 15 horas de ontem, os bombeiros militares da Capital Federal foram acionados para combater um incêndio que tomou grande vulto na garagem de ônibus da empresa Viva Brasília, que faz parte do Grupo Amaral, de propriedade do Ex Senador Valmir Amaral, localizada na área da Administração Regional do Lago Norte, mas extremamente próxima ao Itapoã e ao Paranoá.. O Incêndio destruiu 200 dos 360 ônibus que lá estavam estacionados. Os bombeiros levaram cerca de 5 horas de trabalho para combater o incêndio, do início do combate até o seu controle, que ocorreu por volta das 20 horas. Depois foi feita operação de rescaldo.

Dificuldade dos bombeiros no combate ao
incêndio devido a proximidade dos ônibus

    uns aos outros

    Fonte: Alan Rajão/ Bombeiros Brasileiros
          Foram deslocados para o local do incêndio cerca de 26 viaturas de combate a incêndio, escadas e plataformas, veículos de pronto socorro urbano e de emergências médicas, 3 aeronaves, além de 110 combatentes de 9 unidades de Bombeiros do DF. Foi mobilizado pelos bombeiros, via Defesa Civil, um caminhão tanque com 30 mil litros de água. A equipe de perícia em incêndios dos bombeiros do DF foi acionada, acompanhou e registrou todos os passos tomados pela equipe de socorro mobilizada.
          Muitas inovações foram utilizadas ontem no combate ao incêndio na garagem de ônibus no Lago Norte. Uma delas foi o emprego da aeronave de combate a incêndios do tipo Air Tractor AT 802 F, de propriedade do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal, inicialmente adquirida para o combate a incêndios florestais. Com uma capacidade de armazenamento de cerca de 3.100 litros de água, o sistema computadorizado de bordo da aeronave  permite a programação de até 5 lançamentos de cerca de 600 litros cada. Esta foi ontem utilizada, com efetividade no combate ao incêndio, o que evitou que o fogo chegasse a um posto de combustíveis dentro da propriedade sinistrada.

Aeronave AT 802 F empregado no combate ao incêndio
      Fonte: Alan Rajão/ Bombeiros Brasileiros
          Outra inovação foi o emprego de espuma de combate a incêndio, o que é permitido com as viaturas bomba tanque recentemente adquiridas pela Corporação junto à empresa Norte Americana fabricante de carros especiais, Pierce. Estes carros possuem controle automatizado de pressão e vazão de água, bem como de mistura água/líquido gerador de espuma, o que possibilitou um efetivo combate e controle do incêndio.




Veículos bomba-tanque de última geração usados no combate 
  Fonte: Alan Rajão/ Bombeiros Brasileiros
               Segundo informações dos bombeiros, estes encontraram uma série de dificuldades para se realizar o combate ao fogo. Dentre estas, pode-se citar fatores climáticos, com ventos moderados mas que alimentavam as chamas e proporcionavam rápida propagação do fogo, além de estarem mudando de direção constantemente, dado o volume de calor e fumaça gerados, o que influenciaram no microclima do teatro de operações; os ônibus estavam muito tempo sem funcionar, estacionados muito rentes entre si, com vãos muitas vezes menores que 50 cm, o que impossibilitou a retirada deles da garagem e dificultou o acesso dos bombeiros ao local onde as chamas estavam mais intensas.
           A atuação profissional, competente e altamente especializada dos bombeiros militares do Distrito Federal impediram a destruição de 160 ônibus, de um posto de combustíveis, de um galpão repleto de pneus e outro com maquinários de manutenção veicular. As equipes da Corporação ainda estão presentes no local (05/06) fazendo prevenção, bem como a equipe de perícia, para avaliar todo o cenário de incêndio na busca por respostas quanto ao seu início, propagação e extinção. O resultado da perícia sairá em 20 dias úteis.